Caixa de gordura de restaurantes

cozinha-restaurante

Diversas campanhas têm sido feitas no país nos últimos anos para conscientizar a população sobre o correto descarte de óleo de cozinha. Mas existe um outro vilão, raramente lembrado, com enorme poder de destruição: a caixa de gordura de restaurantes e bares.

O que é e para que serve a caixa de gordura?

A caixa nada mais é que um recipiente totalmente vedado, normalmente, feito de pvc, que liga a tubulação da pia da cozinha do estabelecimento à rede de esgoto. Por meio de um dispositivo específico ela é retém a gordura, separando o óleo da água para evitar entupimentos nas tubulações.

A falta de manutenção das caixas de gordura se reflete diretamente nas condições de higiene dos restaurantes já que a matéria resultante do processo produtivo no varejo alimentar são óleos, gorduras e graxas que, ao caírem na rede coletora, interferem diretamente na eficiência das estações de tratamento de esgoto.

Em temperaturas mais baixas, a gordura tende a se solidificar, provocando entupimentos e extravasamentos da rede coletora. O problema é que, quando obstruídos, os canos e tubulações podem gerar mau cheiro e atrair insetos.

Interdições e prejuízos

Caixa de gordura de restaurante pode ser motivo para interdição.

Caixa de gordura de restaurante pode ser motivo para interdição.

Metade dos proprietários pesquisados reconheceu a presença de fortes odores no local, causando a perda de clientes. O número de interdições cresceu 23% em 2 anos. Os principais motivos são a presença de alimentos vencidos, mau cheiro e vetores como ratos e baratas. Com certeza a falta de manutenção das caixas de gordura contribui para a proliferação de vetores.

 

 

O Laboratório Cavalieri se preocupa com o ecossistema e o bem-estar da população, por isso, reforçamos os alertas sobre a importância da manutenção adequada das caixas de gordura em bares, lanchonetes e restaurantes. Afinal, os benefícios não são apenas para o meio ambiente, mas também para a garantia de qualidade do estabelecimento comercial.

Faça um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *